9.5.17

TIA GRAÇA - TODA A GENTE DEVIA TER UMA

2017.05.06
"Tia Graça - Toda a gente devia ter uma" é a nova criação da d’Orfeu - Associação Cultural, que na passada Sexta-feira esgotou a Latada, a recém-inaugurada sala da casa mãe desta associação aguedense. Por este motivo, o espetáculo repetiu-se no sábado, também com casa cheia.
Este novo espetáculo músico-teatral foi protagonizado e concebido por  Luís Fernandes, tendo também a participação de um trio de jovens instrumentistas: Inês Luzio (eufónio) Inês Moreira Coelho (fagote) e Joana Soares (oboé).
Com músicas de Manuel Maio e cenografia de enVide neFelibata (do Teatro e Marionetas de Mandrágora), “Tia Graça” é um espetáculo baseado na história verdadeira da tia do autor, que personifica e homenageia as mulheres que vivem nos bastidores das vidas de tantos músicos, a lavar, a coser, a passar, a cozinhar, a mimar.
"Tia Graça – Toda a gente devia ter uma", vai percorrer o país, tendo já sessões marcadas para Vouzela, Aveiro, Serpa e Tondela.
 

23.4.17

CANTAUTORES



2017.04.21
Na passada sexta-feira foi inaugurado o novo espaço para espectáculos na d’Orfeu Associação Cultural. A latada sofreu uma remodelação e reúne agora todas as condições de conforto para receber, sempre que necessário, as várias iniciativas da associação aguedense.
“Os CantAutores”, uma criação d’Orfeu que regressa após um interregno de cerca de uma década, foi o espectáculo escolhido para esta noite de estreia ao qual ninguém quis faltar, tendo a esgotado a plateia.
 Agora em quinteto, Luís Fernandes, Miguel Calhaz e Marco Figueiredo (da formação inicial), juntam-se ao saxofonista Rodrigo Neves e ao baterista Rui Lúcio.
“Os CantAutores” recriam e celebram a música de intervenção, mais propriamente obra de José Afonso, Sérgio Godinho, Fausto e José Mário Branco.
























15.2.17

O Filho da Treta

 2017.02.09 
"O Filho da Treta" com António Machado e José Pedro Gomes, no palco do Cine-Teatro S. Pedro, um espectáculo das Sextas Culturais - Águeda.
 Nas Sextas Culturais, o mês de Fevereiro fica marcado por algo inédito. A peça "O Filho da Treta" esgotou a lotação do Cine Teatro S. Pedro, em Águeda em duas noites. O primeiro espetáculo, já há muito esgotado, provocou a marcação de uma sessão extra, também esta com a sala cheia.
Os atores António Machado e José Pedro Gomes, fizeram rir as várias centenas de pessoas que não quiseram perder esta peça, que funciona como uma sequela da “Conversa da Treta” que no passado juntava Toni (interpretado pelo falecido ator António Feio) e Zezé. Este último apresenta-se agora com o Júnior, o filho de Toni.
Zezé prossegue a sua luta contra o bom-senso, a solidariedade, o trabalho e outros conceitos primeiro-mundistas, enquanto Júnior vai provocando algumas irritações inter-geracionais. Uma peça onde até se discutem as tascas gourmet, os refugiados, os paus de selfie, as novas famílias e “outras pragas que assolam o mundo moderno”.